Após anos tendo a cerâmica como hobby, Patricia passou a dedicar-se em tempo integral ao seu ateliê, aonde ela produz  peças utilitárias e decorativas, bem como utiliza técnicas variadas na confecção e finalização de suas peças.

 

Patricia iniciou seu caminho na arte cerâmica em 1998 pelas mãos da ceramista Frieda Durien. Ao se mudar para o Rio de Janeiro, frequentou, como aluna, os ateliês de Sylvia Goyanna e Alice Felzenswalb. No ateliê desta última, iniciou seu aprendizado de torno.

 

Também no Rio de Janeiro, conheceu o raku por meio de Sylvia Goyanna e Doni Goçalves, o que lhe abriu novos caminhos.

 

De volta a São Paulo, Patricia continuou seu aprendizado com Frieda Durian, focando seus estudos no desenvolvimento de esmaltes cerâmicos. Na mesma época, começou a frequentar o ateliê da ceramista e professora Sirlene Giannotti, aonde desenvolveu e aperfeiçoou a sua técnica no torno.

 

Também no ateliê de Sirlene, continuou seus experimentos com a queima de raku e outras queimas de baixa temperatura (barril, saggar, negativo etc.), bem como participou de um grupo de estudos de desenvolvimento de esmaltes cerâmicos de alta temperatura.